Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sobre a FLet
Início do conteúdo da página

Sobre a FLet

Os cursos de Letras da Universidade Federal do Amazonas funcionam como cursos regulares desde 1965. Foram criados por meio da Resolução nº 02/65, com atuação na antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. A criação visava ao atendimento e à necessidade de formação de professores na área de linguagem em nível superior que atendesse a demanda crescente das entidades públicas e privadas da capital e do interior do estado. Com o Decreto nº 77.138 de 12 de fevereiro de 1970, veio o reconhecimento dos cursos na então Universidade do Amazonas – UA.

Com o tempo e com o aumento da demanda social, os cursos de Letras ganharam novas dimensões e passaram a agregar novas perspectivas de ensino. Além dos cursos de Língua Portuguesa oferecidos pelo antigo Departamento de Língua e Literatura Portuguesa (DLLP) e dos cursos de Língua Inglesa e Francesa oferecidos pelo antigo Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras (DLLE), foram criados os cursos de Língua Espanhola e de Língua Japonesa. Com isso, cerca de 20% dos docentes do antigo Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL) e 30% dos alunos eram dos cursos de Letras.

Durante anos, a UFAM foi a única universidade que formava profissionais licenciados em Letras para o atendimento da demanda de entidades públicas e particulares da capital e do interior. Com a criação da Universidade do Estado do Amazonas e a oferta da graduação em Letras nas universidades particulares, esse quadro mudou e os profissionais formados na UFAM passaram a ser formadores e a atuar como docentes, demonstrando, assim, a qualidade e o perfil de nossos alunos. Órgãos públicos federais, estaduais e municipais de educação possuem em seus quadros efetivos alunos egressos de nossos cursos.

Ressalte-se que boa parte dos alunos egressos dos cursos de Letras integram o quadro docente da Faculdade de Letras - FLet hoje. Desses, a grande maioria possuem título de doutor e/ou mestre.

Com o aumento da demanda e mais cursos na área de linguagem, os departamentos investiram fortemente na formação dos recursos humanos. No início dos anos 90, havia poucos professores doutorados. Hoje, esse quadro é bem outro. A partir de 2009, com a implementação do Doutorado Interinstitucional - DINTER, foi elaborado planejamento de formação de docentes do quadro dos antigos departamentos que possibilitou uma meta, alcançada em 2015, de ter cerca de 80% dos professores doutorados. Essa proposta refletiu diretamente na qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação.

Dada a necessidade de formação de profissionais qualificados para atender a grande demanda e considerando o contexto da Universidade como instituição pública apoiada no tripé ensino, pesquisa e extensão, foram feitas reformulações contínuas nas matrizes curriculares dos cursos com o intuito de acompanhar o desenvolvimento das novas tecnologias e os preceitos da educação em todos os níveis de ensino. Nesse contexto, os cursos de Letras da FLet da UFAM são, hoje, cursos de formação acadêmica e profissional que atendem não só os profissionais educadores, mas também aqueles que atuam nas mais diversas áreas, tais como redatores de jornais, escritores, revisores e, dentro da própria universidade, profissionais técnico-administrativos nos vários setores da UFAM.

Além do curso de mestrado e de graduação, também foram oferecidos cursos de especialização (Lato Sensu). Foram várias turmas de especialização em Linguística Textual, em Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa, em Metodologia do Ensino da Língua Inglesa, em Ensino de Espanhol, em aprimoramento de Latim, em Literatura e em Linguística. Veio, então, a necessidade de retomada do Mestrado em Letras com um novo perfil. Foi, então, criado em 2009, com o apoio da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação – PROPESP, o curso de Mestrado em Letras. Em 2012, o curso passou por seu primeiro processo de avaliação, permanecendo com o conceito 3 (CAPES/MEC); a meta é elevar a nota do mestrado e aprovar o projeto de criação do doutorado em Letras, no âmbito da FLet.

No ensino de graduação, os antigos departamentos (DLLP e o DLLE)  ampliaram sua atuação ao aprovar a criação do curso de Japonês e a inserção do ensino de LIBRAS nos cursos de Licenciatura da UFAM, tendo em vista a exigência do MEC para que todas as licenciaturas tivessem uma disciplina de Língua Brasileira de Sinais. Com isso, foram contratados seis novos professores de LIBRAS para atender a todos os cursos da UFAM. No ano de 2009, no âmbito do REUNI, foram criadas novas turmas de Letras - Língua Portuguesa e de Línguas Estrangeiras, além do curso de Japonês, com 20 vagas, em grande parte no turno noturno, para ampliar o acesso à universidade pública.

Outro ponto importante para a criação da Faculdade de Letras foi a organização do grupo de professores dos cursos de Letras – Língua Portuguesa e Línguas Estrangeiras como um grupo coeso traçando metas comuns para a melhoria do ensino de graduação, de pós-graduação e das atividades de pesquisa e extensão. Essas metas sempre foram fomentadas e reforçadas no planejamento de cada departamento em prol da Faculdade de Letras e, com a consolidação nos últimos anos do quadro docente, foi possível trabalhar mais detidamente na proposta de criação da Faculdade. As metas para adiante, já com a Faculdade criada, são a avaliação anual das atividades e o planejamento através de encontros e de seminários de avaliação e de planejamento.

     

Os docentes da Faculdade de Letras procuram construir uma base sólida com professores altamente especializados em suas áreas de pesquisa e de atuação. Um ponto primordial e que vale ser ressaltado é a preocupação constante com a formação dos seus docentes; prova disso é o DINTER em Linguística com a UFSC, já encerrado, e o DINTER em Literatura com a UnB, em andamento.

Desde 2010, as tratativas para a proposta da nova unidade de ensino começaram a tomar forma. Várias reuniões foram feitas nos departamentos envolvidos, incorporando, depois, o antigo Departamento de Letras - Libras, que veio a se juntar aos antigos DLLP e DLLE. O texto do projeto, discutido coletivamente, foi elaborado pelos professores Raynice Geraldine Pereira da Silva e Sérgio Augusto Freire de Souza e entregue à Direção do antigo ICHL, em julho de 2013.

     

Toda a tramitação teve o acompanhamento direto e a coordenação do professor Leonard Christy Souza Costa, como representante dos cursos de Letras. Depois de aprovado no Conselho Departamental do antigo ICHL, foi aprovado no Conselho de Administração e encaminhado ao Conselho Universitário, que aprovou a criação das novas unidades no dia 23 de fevereiro de 2017. Em março de 2017, a Reitora criou, junto com outras unidades e por meio de Portaria, a Faculdade de Letras - FLet, designando a diretoria pro-tempore, tendo o professor Leonard Christy Souza Costa como Diretor, o professor Wagner Barros Teixeira como Coordenador Acadêmico e a Técnica-administrativa Angélica Gonçalves de Lima Castro como Coordenadora Administrativa. Em seguida, foi realizada a primeira eleição direta para a direção, com a escolha do Professor Wagner Barros Teixeira como Diretor, da professora

     

Cássia Maria Bezerra do Nascimento como Coordenadora Acadêmica e da TAE Carla Caroline Leite Duarte como Coordenadora Administrativa.

A Faculdade de Letras da UFAM é composta, atualmente, por sete cursos de graduação (Letras - Língua e Literatura Portuguesa vespertino e noturno, Letras - Língua e Literatura Inglesa, Letras - Língua e Literatura Francesa, Letras - Língua e Literatura Espanhola, Letras - Língua e Literatura Japonesa e Letras - Libras), pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), além de seus projetos, programas e grupos de pesquisa.

 

Escrito por: Prof. Dr. Sérgio Augusto Freire de Souza

Fim do conteúdo da página